A motivação que vem de dentro

A motivação que vem de dentro

A motivação que vem de dentro

“Um bom líder faz com que homens comuns façam coisas incomuns”.Essa frase foi dita por Peter Drucker, conhecido como o pai da gestão moderna. Encontrar formas de motivar a equipe é essencial para manter a empresa viva e alcançar objetivos que beneficiam a todos — funcionários, clientes, proprietários e parceiros. Mas qual seria o melhor caminho para motivar a equipe?

Autonomia, maestria e propósito

Em uma palestra para o site TED, Dan Pink fala sobre a tríade motivacional: autonomia, maestria e propósito. A tríade forma pilares importantes na busca da motivação chamada de intrínseca — a verdadeira motivação. A autonomia é a necessidade de conduzir a própria vida. A maestria é o desejo de se tornar cada vez melhor em algo que importa. O propósito é a ânsia de fazer algo maior do que nós mesmos. Essa é a forma mais duradoura de se estabelecer um ambiente motivado, onde as pessoas aprendem constantemente e buscam o crescimento constante.

A essa altura você deve estar pensando sobre o papel dos incentivos financeiros ao se motivar uma equipe. Um estudo clássico realizado por Frederick Herzberg entre 1950 e 1960 mostrou que o que causa satisfação no trabalho não são as mesmas que causam insatisfação. Ao perguntar sobre insatisfação no trabalho os motivos mais citados são salário, regras, má gestão, dentre outras coisas que deveriam ser consideradas básicas em um emprego. No entanto, exatamente por serem consideradas básicas, elas não causam satisfação, elas têm apenas o poder de não deixar a equipe insatisfeita. O que realmente causa satisfação na equipe são fatores como reconhecimento, conquistas, crescimento, dentre outros que estão intimamente relacionados à tríade citada por Dan Pink.

Origem da motivação

No artigo publicado por Herzberg, ele faz uma comparação com um cachorro que se move porque o dono lhe deu um biscoito. E ele pergunta: “Nessa situação, quem está motivado? O dono ou o cachorro?”. A resposta é que o dono está motivado, e o cachorro só se move se o dono oferecer outro biscoito. A mesma situação se aplica nas empresas. Se a sua equipe está sendo motivada por biscoitos, rapidamente ela vai parar de se mover até que outro biscoito apareça. Essa é a motivação que vem de fora. Ela vai embora com a mesma facilidade que chegou.

Reserve um tempo para refletir o quanto de autonomia, maestria e propósito você coloca na vida da sua empresa. Essa pode ser a resposta para uma equipe estável, envolvida e fiel, e consequentemente clientes mais satisfeitos. Esse ciclo virtuoso sem dúvidas contribuirá para a longevidade da empresa, além de tornar o dia-a-dia mais interessante e inspirador.

Referências:

1- Dan Pink: The Puzzle of Motivation — TED Global 2009.

2- Herzberg, Frederick; One More Time: How Do You Motivate Employees? — Best of HBR, 1968.

Deixe um comentário

Your email address will not be published.